Em pauta…

Livre-se

da

procrastinação!

Pesquisas realizadas por universidades norte-americanas sugerem que aqueles de nós que gostam de desafios têm mais probabilidades de viver até 10 anos a mais do que aqueles que passam a vida inibidos pela timidez.

Tentar realizar nossas ambições, mesmo que nem sempre as realizemos, é preferível a não ter coragem ou motivação para correr o risco. Portanto, não tomar nenhuma decisão, por temor de falhar, preferindo uma atitude derrotista, nos leva à procrastinação e ela se torna um hábito. E um hábito insidioso, pois nos impede de viver vidas mais gratificantes.

Procrastinação, a maioria de nós sabe, é o hábito de deixar nossas atividades para depois. Aos poucos vamos acumulando muitas coisas a serem feitas amanhã, depois, uma hora, na hora que der, e por aí vai…

Você quer mais tempo, mais dinheiro, melhor saúde, maior autoestima e confiança, relacionamentos mais gratificantes, uma carreira diferente, abrir um negócio? É possível. Basta parar de procrastinar. Esse é um hábito muito ativo, caso você não tenha percebido. Nele, não há nada de passivo. 

Quando procrastinamos, geralmente é porque o que estamos planejando fazer não está realmente alinhado com o que realmente queremos. Podemos ser ter medo de nossas habilidades (ou falta de percepção) ou temer o ridículo de outras pessoas ou simplesmente não ter amadurecido algumas percepções que nos facilitam o processo de vivenciarmos nossa própria história do modo como desejamos. Por isso é dito: para ser feliz é necessário coragem. De ser si mesmo.

E há passos para isso. O primeiro passo é entender que procrastinar é um hábito. Construído e mantido por você mesmo. 

Começa como um hábito e, muitas vezes, deixamos de ter como um hábito para acreditar que faz parte de nossa natureza.

Isto porque começamos aos poucos a empurrar, de modo desorganizado já, o que desejamos e/ou precisamos fazer para…para quando mesmo?

Como nos livrar desse hábito?

Acompanhe algumas dicas valiosas para eliminar o hábito da procrastinação:

1. Identifique seus valores

Você de fato se identifica com a procrastinação?

Você de fato é um preguiçoso?

Você de fato acredita que o marasmo, o deixar para o dia seguinte, para o depois, para outra hora…vai lhe ajudar a realizar o que você diz que deseja/precisa realizar?

Provavelmente não.

Mesmo porque, se você está lendo este texto, é porque está interessado em livrar-se do hábito de procrastinar (já tendo inclusive reconhecido que anda procrastinando, o que é ótimo) ou porque está interessado em ajudar alguém que anda procrastinando.

Ou não é isso?

 

2. Questione-se 

Eu não conheço nada melhor e mais inteligente do que o questionamento para que possamos dar conta de nossas próprias questões de modo eficaz, permanente.

Se você conhece, me fala ( o link de contato deste site pode ser útil a isso).

Quando você começa a se questionar, está dando a si a oportunidade de conhecer-se mais e melhor.

Além disso, o questionamento pode lhe ajudar a criar estratégias produtivas, através das quais você pode montar um plano de apoio pessoal para deixar de lado o hábito de procrastinar.

E se perceber que não consegue fazer isso, simplesmente busque um profissional competente que lhe sirva como facilitador.

Do questionamento faz parte a atividade de  identificar problemas/justificativas  relacionados ao hábito da procrastinação (como atividades em excesso, vícios em redes sociais, facilidade de de distrair-se, dificuldade de dizer não, não gostar do que tem que ser feito, etc.). 

Ao listar e explorar as possíveis causas, você pode criar estratégias criativas que lhe permitirão a flexibilidade e dissolução desses motivos, de modo a…começar/continuar fazendo o que precisa ser feito.  

 

3. Agende-se

A maioria de nós tem uma atividade que funciona como seu ganha-pão básico/oficial.

Esta é a atividade que deve fazer parte de sua agenda.

As demais atividades (cursos, visitas, almoços, celebrações, compras, etc.) devem ser colocadas em agenda tomando-se o cuidado para não encher sua agenda de coisas que você sabe que não vai realizar.

Geralmente, quando trabalho a questão da procrastinação com meus clientes, costumo pedir que eles quebrem suas tarefas em pequenas atividades. E que não ultrapassem a quantidade de três ou quatro eventos em cada dia.

Busque trabalhar com o que é simples.

Sempre me pego pensando sobre nossos antigos (pais, avós, bisavós, etc.) com suas organizações no chamado “papel de pão”.

Isto é, não importa se sua agenda é da marca tal, ou se funciona a partir do aplicativo xis. O que importa é que funcione para você.

Uma lista de coisas a serem feitas, com data, dia e horário é o suficiente. 

Para mim, uma planilha de Excel tem me ajudado por ais de 15 anos a manter minha vida sob controle. Você pode criar uma ou continuar usando o que tem, ou, até mesmo, resolver usar algo mais sofisticado. 

Mas, lembre-se, o que quer que você esteja usando, você tem que continuar a fazer sua organização. Isto é, sua agenda – independente do formato dela – será um recurso que começará de um jeito e irá se modificando pra atender suas necessidades. 

Respeite isso, seja cordato consigo mesmo e em breve você encontrará o seu modo. Isto é o que importa. 

4. Brinque com a voz interna

A voz interna sobre a qual muitos de nós falamos é aquele pensamento que fica nos atormentando com falas banais como “só mais cinco minutinhos” assim que o despertador toca e, sabemos, temos que nos levantar da cama. 

Ela também aparece sob a forma de pensamento que sussurra “amanhã faço’, “ninguém dá valor a isso”, “ah, mas eu não consigo”, etc. 

Perceba: é uma sensação! 

E é você quem a está produzindo! 

O bom de saber que somos nós que produzimos nossos próprios desaceleradores é que também podemos produzir nossos próprios aceleradores! 

Como isso? 

Bom, embora muitos prefiram simplesmente tentar calar os próprios pensamentos, nocauteando a voz interna, muitos fazem diferente, pois preferem trabalhar de modo divertido. 

Quando tenho que fazer algo e me percebo postergando, geralmente começo a conversar comigo como se eu fosse uma criancinha. Isto é, eu digo a mim mesma: Vamos lá, você consegue, você consegue tanta coisa! E ainda por cima, depois disso pronto, você conseguirá mais energia, pois continuará confiando e ampliando seu próprio poder pessoal de tomar boas decisões a favor de si mesma. 

Frases como essas sempre nos ajudam a continuarmos nos apoiando. 

Se você escolhe esse tipo de abordagem para trabalhar consigo mesmo, crie suas frase. Tente! 

E continue, pois trata-se de um exercício.  Que deve ser divertido, prazeroso e…produtivo. 

E se desejar um recurso extra…

Use a Hipnose para se programar

O norte-americano Bruce Lipton, biólogo e pesquisador de células-tronco, defensor da expressão gênica, afirma que a Hipnose é a melhor ferramenta para se reprogramar em termos mentais, emocionais e comportamentais. 

Estudos relativos à neurologia mostram isso também. Pesquisadores como Joe Dispenza, por exemplo, mostram, com comprovações científicas através de leituras de EEG, entre outras, a validade da reprogramação através da Hipnose. Assim, em sua agenda, habitue-se a reservar um tempo para a auto-hipnose. Aqui partilho um passo-a-passo para você realizar a auto-hipnose ao menos uma vez por semana a fim de perceber-se predisposto, inclinado emocionalmente para livrar-se da procrastinação.

Estudos relativos à neurologia mostram isso também. Pesquisadores como Joe Dispenza, por exemplo, mostram, com comprovações científicas através de leituras de EEG, entre outras, a validade da reprogramação através da Hipnose. Assim, em sua agenda, habitue-se a reservar um tempo para a auto-hipnose. Aqui partilho um passo-a-passo para você realizar a auto-hipnose ao menos uma vez por semana a fim de perceber-se predisposto, inclinado emocionalmente para livrar-se da procrastinação.

E, por fim…Apenas comece

Sem desculpas. Não espere até que você esteja “de bom humor”.

Vá com passos de bebê. Pouquinho a pouquinho.


Rabisque as intenções, as estratégias, conviva com a vontade de ser menos procrastinador, ambiente-se com as possibilidades, familiarize-se com o desejo de ser melhor para consigo mesmo.

Comece fácil, permaneça fácil, atinja fácil. O segredo dos que realizam não é algo mágico, vindo do nada. Ao contrário. É um hábito começado em algum ponto da vida. E continuado.
E o combustível para a permanência desse hábito é a própria continuidade, a chance que damos a nós mesmos de dizermos “sim, consigo”. E ao seu próprio modo, você consegue simplesmente porque se dá essa chance. E, lembre-se, nesse processo, você tem todo o tempo do mundo, pois é bem mais fácil fazer algo agora e outro algo amanhã e, assim, continuamente, do que simplesmente não fazer algo ao longo de um ano, por exemplo e querer fazer tudo num só dia, numa só semana. Todo movimento, por menor que seja, conta. Positivamente.

Créditos:
Luciene Lima,
Terapeuta Integrativa, Psicanalista, Hipnoterapeuta Clínica
Fotos: Pexels